Janeiro 2023

Janeiro 2023

“If a thing is worth doing, it is worth doing badly.” - G.K. Chesterton

icon
História do Pensamento Econômico brasileiro

Samuel Pessôa sobre Celso Furtado e sua influência na história do pensamento econômico brasileiro. Interessante revisitar as origens (e falhas) do diagnóstico do nosso subdesenvolvimento e notar o anacronismo de diversas narrativas correntes. (Obs: Link para íntegra da entrevista ao final do artigo).

icon
Comportamento

Paper do economista Dan Ariely sobre como o processo humano de avaliação de ativos conduz a vieses na concepção e subsequente percepção de valor. Ecoa Charlie Munger: I like the idea of using artificial intelligence, because we're so short of the real thing. Os dois conceitos centrais do estudo, imprinting e coerência local, são bem sumarizados no trecho abaixo:

Our findings are consistent with an account of revealed preference which posits that valuations are initially malleable but become “imprinted” (i.e., precisely defined and largely invariant), after the individual is called upon to make an initial decision. Prior to imprinting, valuations have a large arbitrary component, meaning that they are highly responsive to both normative and nonnormative influences. Following imprinting, valuations become locally coherent, as the consumer attempts to reconcile future decisions of a “similar kind” with the initial one. This creates an illusion of order, because consumers’ coherent responses to subsequent changes in conditions disguise the arbitrary nature of the initial, foundational, choice.

Sobre o conceito de Conjugação Emotiva, i.e. como a manipulação da forma de comunicar uma mensagem pode sutilmente alterar a percepção alheia acerca de um mesmo fato. Eu estou corretamente indignado, você está chateado, ele está fazendo cena desnecessariamente…

icon
AI

Em meio a um mar de lugares-comuns e opiniões viscerais pouco embasadas, uma análise sóbria do analista Ben Thompson (do blog Stratechery), sobre os impactos da inteligência artificial nas cinco grandes empresas americanas (Amazon, Apple, Google, Meta e Microsoft).

Reflexões sobre o retorno do texto como superfície principal de interação com o mundo computacional. Ou como posto por Marc Benioff recentemente: Text is the new GUI.

icon
Cultura Empresarial

Andrew Bosworth, fiel escudeiro de Zuckerberg (e atual CTO da Meta), reflete o novo mote (ou volta às origens…) da companhia. Nas palavras do próprio Mark: “2023 is the year of efficiency.”